Hamas liberta mais 17 reféns; grupo acusa Israel de violar acordo

Hamas liberta mais 17 reféns; grupo acusa Israel de violar acordo

Bandeiras da Palestina e Israel

26 de novembro de 2023

 

Israel disse no domingo que militantes do Hamas libertaram mais 17 reféns detidos em Gaza. Uma menina estadunidense, Abigail Edan, estava entre os 14 israelenses e três estrangeiros entregues ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha no terceiro dia em que o Hamas libertou reféns em troca de Israel libertar palestinos presos.

Além da menina libertada no domingo, o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, disse ao programa “This Week” da ABC que o Hamas mantém detidos outros oito estadunidenses e um cidadão estrangeiro com direitos trabalhistas nos EUA.

O presidente Joe Biden disse que espera que outros reféns nativos também sejam libertados pelo Hamas e disse que gostaria de ver a trégua estendida enquanto os prisioneiros forem libertados.

“Não vamos parar de trabalhar até que todos os reféns sejam devolvidos aos seus entes queridos”, disse Biden.

Antes da última libertação de reféns, Netanyahu visitou a Faixa de Gaza, onde conversou com as tropas. “Estamos fazendo todos os esforços para devolver nossos reféns e, no final das contas, devolveremos todos.”

“Continuamos até o fim, até a vitória. Nada nos impedirá”, disse Netanyahu. Não ficou imediatamente claro para onde ele foi dentro de Gaza.

Embora o cessar-fogo com o Hamas parecesse durar, o Ministério da Saúde da Palestina disse que as forças israelenses mataram a tiros pelo menos seis palestinos durante a noite na Cisjordânia.

O Hamas libertou 17 reféns na noite de sábado, 13 israelenses e quatro tailandeses. Pouco tempo depois, na manhã de domingo, Israel libertou 39 prisioneiros palestinos.

Os reféns foram libertados horas depois do esperado, depois que o grupo militante acusou Israel de violar o acordo de troca, afirmações negadas pelas autoridades israelenses.

Os mediadores do Catar e do Egito conseguiram responder às preocupações do Hamas e os reféns foram libertados pouco antes da meia-noite.

Dos 13 israelenses libertados no sábado, havia sete crianças e seis mulheres, a maioria do Kibutz Be’eri. As crianças tinham idades entre 3 e 16 anos e as mulheres entre 18 e 67 anos. Os israelenses libertados no domingo variaram de 4 a 84. Incluídos entre os libertados no domingo, três cidadãos tailandeses.

Embora uma das pré-condições de Israel para a troca fosse não dividir as famílias dos sequestrados, pelo menos duas famílias do Kibutz Be’eri foram divididas. Um porta-voz do kibutz disse que todos os reféns libertados tiveram um membro da família morto no ataque do Hamas a Israel em 7 de outubro ou deixaram um ente querido em cativeiro em Gaza. Uma delas era Hila Rotem, 12 anos, cuja mãe está com os Hamas.

Dos 39 prisioneiros palestinos libertados, 33 eram crianças e seis eram mulheres, disse um porta-voz do Catar. Imagens de televisão mostraram prisioneiros sendo recebidos em casa.

O palestino mais proeminente libertado foi Israa Jaabis, 38, que foi condenada por um ataque a bomba em um posto de controle em 2015 que feriu um policial. Ela sofreu queimaduras e foi condenada a 11 anos de prisão.

Fontes[editar | editar código-fonte]
 

Hamas liberta mais 17 reféns; grupo acusa Israel de violar acordo


@zipcms | Social Content


Publicado

em

por

Tags: